Beleza

Desodorante natural: Aprenda a fazer um produto caseiro

Desodorante natural: Aprenda a fazer um produto caseiro

Para adotar uma rotina de cuidados mais sustentável e acessível, muitas pessoas começaram a substituir os produtos industrializados por opções caseiras. Além de sabonetes, cremes e xampus, muitos também descobriram a possibilidade de produzir seus próprios desodorantes naturais em casa.

A prática, que garante um produto livre de parabenos e outros produtos químicos, surgiu como uma alternativa especialmente para quem tem pele sensível. Isso ocorre porque os sais de alumínio nos desodorantes tradicionais podem causar reações alérgicas ou irritação em algumas pessoas – e devem ser evitados ou interrompidos.

 

Assim, enquanto alguns preferem comprar desodorante sem alumínio do mercado, outros podem arriscar e preparar um produto natural em casa. A receita caseira, em geral, é muito econômica, pois utiliza apenas óleo essencial para dar fragrância e leite de magnésia, como alternativa a outros compostos sintéticos.

Desodorante natural: prós e contras

 

A principal vantagem do desodorante natural é que ele é livre de compostos químicos que podem causar reações alérgicas em algumas pessoas. Ao tomar apenas ingredientes puros, o produto não causa nenhum tipo de reação na pele e, portanto, não há contraindicações.

Comparado ao desodorante industrial sem alumínio, a versão caseira tem a vantagem de ser mais barata e ecologicamente correta – pois é feita com ingredientes biodegradáveis ​​e não utiliza embalagens descartáveis.

 

O desodorante natural também funciona para evitar o odor desagradável das axilas . No entanto, o processo é feito de forma e intensidade diferentes dos desodorantes industriais – principalmente aqueles que contêm alumínio.

 

“Os ingredientes ativos dos antitranspirantes geralmente incluem compostos à base de alumínio que obstruem temporariamente os poros do suor, reduzindo a quantidade de suor que atinge a pele e, portanto, o mau odor na área”, diz Rosana Vasconcelos, MD, MD, professora de dermatologia.

Além disso, de acordo com a dermatologista Fabiana Seidl, os desodorantes fabricados (com ou sem alumínio) contêm antissépticos, como álcool ou triclosan, que impedem a propagação de bactérias e reduzem o mau odor das axilas.

 

Por outro lado, os desodorantes naturais não entopem as glândulas sudoríparas, mas também não param de suar . É aí que entra o leite de magnésia, seu principal ingrediente, que atua neutralizando os ácidos carboxílicos que compõem o suor, responsáveis ​​pelos odores desagradáveis ​​nas axilas.

“Se for usar o produto, tenha isso em mente: um desodorante natural ajuda a eliminar o odor das axilas, mas não com o suor. Pode ser necessário reaplicar o desodorante após o exercício ou ao longo do dia”, explica a dermatologista Rosana Vasconcelos.

O especialista ainda acrescenta que nos primeiros dias de uso de um desodorante natural, é provável que a pessoa sinta uma sensação estranha na axila. “Pode levar alguns dias ou semanas para suas axilas reequilibrarem os germes e se acostumarem com o produto”, diz ele.

 

Como fazer um desodorante natural

 

A Dra. Carla Lessa ensina como fazer um desodorante natural e sem parabenos:

 

ingredientes

 

    • 1 garrafa de Leite de Magnésia

 

    • 1 frasco (vidro ou plástico) para aplicar o produto

 

    • 4 gotas de óleo essencial

 

 

Como preparar

 

Dentro do frasco, misture quatro gotas de óleo essencial com leite de magnésia. Se você quiser usar outro óleo essencial junto, para potencializar o efeito do produto, adicione duas gotas de cada óleo (não há problema em adicionar mais algumas gotas de óleo essencial).

 

A quantidade sugerida pelo médico rende até duas garrafas laminadas. Outra sugestão, para tornar o produto mais sustentável, é reaproveitar um recipiente (de vidro ou plástico) que você já tem em casa. Basta esterilizar corretamente e colocar a mistura dentro. Se preferir, pode usar um borrifador para facilitar a aplicação.

 

O especialista revela ainda que a duração estimada do produto caseiro é de dois meses. O alcance menor, comparado aos desodorantes fabricados, se deve à falta de conservantes na fórmula e também à volatilidade do óleo essencial.

 

A escolha certa de óleos essenciais

 

Especialmente para pessoas que sofrem de transpiração mais intensa , é possível usar no produto A um óleo essencial com propriedades antissépticas , para atuar diretamente nos micróbios da região das axilas, onde produzem odores do suor. A Dra. Rosana Vasconcelos sugere opções como óleo de coco, óleo de melaleuca, óleo de melaleuca e óleo de alecrim.

 

Saiba mais: Aromaterapia: o que é, por que e como é feita

 

Para realçar o aroma agradável do produto caseiro, sugere-se misturar esses óleos com propriedades antissépticas com opções mais aromáticas, como óleo de lavanda, óleo de hortelã-pimenta, óleo de laranja e óleo de maracujá. Nesses casos, coloque metade da quantidade de cada na receita.

 

Embora as chances de irritação sejam baixas, ao usar um desodorante natural, é importante monitorar cuidadosamente sua pele para detectar qualquer reação que possa ocorrer. “Cuide da sua pele para ver se há erupções cutâneas ou outros sinais quando começar a usar um novo produto”, orienta Rosana Vasconcelos.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo